terça-feira, 8 de março de 2011

Coleção da marca John Galliano é apresentada sem o estilista

Ele foi demitido da Dior após comentários racistas
As 20 peças da coleção foram apresentadas em um salão barroco de Paris
A charmosa coleção criada por John Galliano para sua própria marca foi apresentada neste domingo (6) em Paris em um luxuoso salão privado. O estilista, porém, não assistiu ao desfile. Ele saiu de cena desde a divulgação de declarações antissemitas que fez quando estava bêbado.

Muito aplaudida, a apresentação da minicoleção desenhada pelo estilista para sua marca "John Galliano", que pertence em 90% à grife Dior, transcorreu em um clima bastante tranquilo, após a tempestade gerada pelas declarações do estilista, que provocaram sua demissão da Dior.

Cerca de 20 sofisticadas roupas foram apresentadas a compradores e jornalistas no salão barroco, repleto de almofadas de veludo.Os espectadores eram recebidos pelo presidente da Dior, Sidney Toledano, ex-patrão de Galliano. O estilista era responsável pelas coleções da Dior até o começo de março, quando foi demitido. Sidney disse estar lá para dar apoio aos funcionários, mas não confirmou se a Dior continuaria produzindo a marca.
- Nos maus momentos, é preciso avançar. Estou aqui para apoiar as equipes.

Evocando a elegância sofisticada dos anos 1950, a coleção incluiu vestidos de noite em delicados e transparentes tules, ternos de tweed com a cintura bem marcada, saias justas e casacos de pele.

Esta miniapresentação pôs fim a uma das mais frutíferas e bem-sucedidas colaborações na moda, que durou 15 anos, nas quais o talento e a visão de Galliano, cujos desfiles costumavam ser sempre acompanhados por um perfume, fez a grife Dior ganhar milhões de dólares.

Rehab e tribunal

O estilista, antes adulado e agora um pária no mundo da moda, entrou, ao que parece, em tratamento de desintoxicação.

Galliano deverá comparecer ante a justiça francesa durante o segundo trimestre de 2011 para responder às acusações de "injúria racial", depois de ser preso na semana passada em um bar de Paris após um casal o acusar de fazer "insultos antissemitas" e racistas.

As portas da Dior se fecharam definitivamente para Galliano depois que um jornal britânico publicou um vídeo no qual o estilista declarava "Amo Hitler".

Nenhum comentário:

Postar um comentário